segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Mielopatia Degenerativa

Um dia o cão do meu tio começou a mostrar fraqueza nas patas traseiras e assim, ao longo do tempo essa fraqueza foi se agravando até que no final, ele não andava mais, vivia em um canto da sala, deitado e triste. Apesar do amor e carinho que todos lhe dedicavam (na época não havia veterinário na cidade), eu sabia que ele sofria por não nos acompanhar nas brincadeiras que sempre fazíamos juntos e, até hoje nos recordamos dele, toda a criançada (hoje todos na casa dos 50!). Meu tio levou-o até Fortaleza e lá apenas lhe deram paliativos para enfrentar a doença – não havia investimentos nesse tipo de doenças em animais. Mesmo assim, ele teve uma razoável qualidade de vida porque o seu dono jamais o abandonou.

Hoje lhes trago um artigo que encontrei www.petfooddirect.com, para ilustrar o caso acima relatodo.

Há várias razões que explicam porque a raça de cães maiores e já idosos podem mostrar sinais de fraqueza nas pernas traseiras. Um desses motivos é uma doença chamada mielopatia degenerativa - doença que afeta principalmente pastores alemães, mas este diagnóstico também deve ser considerado no em outras raças grandes e com idade avançada

O que é Mielopatia degenerativa (DM) e o que ela provoca?

MD é um processo lento, de uma desordem progressiva na medula espinhal. A causa exata é desconhecida, alguns dizem que há uma ligação genética uma vez que a condição afeta principalmente pastores alemães. Outros dizem que poderia ser uma desordem auto-imune, mas isso não foi provado.

Aumento do risco de MD.

Quais os sintomas que devo procurar?

Sintomas de mielopatia degenerativa progressiva incluem fraqueza nas pernas traseirasarastando os pés para trás, com essa dificuldade surge a ataxia crescente, (tropeço), knuckling dos dedos do pé, perda de massa muscular na parte traseira, tremores nas pernas traseiras, incontinência urinária / fecal. Eventualmente, as pernas da frente também podem ser afetadas em fases adiantadas da doença.

Muitos donos acham que seus cães pode simplesmente estar com artrite , mas a MD é mais que uma doença de fraqueza ou de dores músculo-esqueléticas, embora possa ser difícil dizer a diferença.

Que teste está disponível para fazer um diagnóstico?

Se seu cão está mostrando sinais de MD, marque uma consulta com seu veterinário.

Uma tentativa de diagnóstico pode ser feita com base no histórico, exame físico completo e neurológico. Seu veterinário provavelmente recomendará mais testes, incluindo raios-x, punção lombar e ressonância magnética, a fim de verificar outros processos patológicos, tais como tumores da coluna vertebral ou doença do disco. O profissional inclusive pode, ele mesmo ser capaz de ordenar a maioria destes testes. As vezes, um encaminhamento para um neurologista veterinário pode ser necessária para ajudar a fazer um diagnóstico.

A natação pode ajudar com DM.

Que tratamentos estão disponíveis e qual é o prognóstico?

Não há tratamento definitivo para a mielopatia degenerativa. Possíveis opções de tratamento que têm sido usados ​​incluem vitaminas (especialmente vitamina B12), ácido aminocapróico, N-acetilcisteína, e mudanças na dieta . Tratamentos alternativos , como fisioterapia e acupuntura também têm sido experimentados com algum sucesso. Exercício regular como caminhada e natação ajudam a desacelerar a progressão da doença. A maioria destes tratamentos são direcionados para ajudar na alimentação dos nervos espinhais para impedi-los de enfraquecerem. Esteróides também têm sido usados ​​para tentar impedir qualquer inflamação associada com esta condição.

Terapia com células-tronco também tem mais recentemente sugerida como uma opção de tratamento possível.

Mielopatia degenerativa é uma doença lenta e progressiva sem cura, eventualmente, a maioria dos cães vai sucumbir à doença. Tentar o tratamento pode certamente ajudar a melhorar a quantidade e qualidade de vida.

O que mais posso fazer?

Se seu cão tem Mielopatia degenerativa, é importante encorajá-lo a andar em superfícies macias, porque isso pode ajudar a evitar tropeços e pode fornecer um ambiente de apoio se um acidente acontecer. Os pés de apoio traseiro do seu cão deve ser sustentado com uma toalha ou mesmo umas rodas para e ajudar e aumentar a sua qualidade de vida. Os cães com MD podem apresentar incontinência urinária / fecal, então é importantíssimo mantê-lo limpo e seco.

Ciente dessa condição e com a consultoria do seu veterinário, você pode ajudar a manter seu cão com DM, o mais confortável possível no tempo que viver.

E você, já enfrentou algum tipo de problema de saúde com o seu animal? Conte pra gente!

3 comentários:

  1. A minha cachorra provavelmente está com DM, e é muito triste vê-la assim. Está muito fraca com as pernas traseiras, têm aproximadamente 13 anos e é uma boxer. Mas não há solução? Cirurgia? É muito sofrido ouvi-la chorar para se levantar, isso qdo consegue. Até qdo isso dura? E qdo ela não conseguir mais se levantar?

    ResponderExcluir
  2. Minha pastora alemã tem DM. Fizemos vários exames e o diagnóstico foi dado por exclusão. Há quase um ano ela vinha andando de cadeirinha. Agora as patas dianteiras também foram afetadas. Fizemos o tratamento com célula tronco, sem resultado. Os fitos deram qualidade e seguraram a progressão da doença. Também estamos trocando a alimentação de ração para natural. Também fizemos fisioterapia. A acupuntura não foi bem, a exemplo do uso de células tronco. No frigir dos ovos esses dois tratamentos, de algum modo, aceleraram o processo. Colocamos ela num EVA e usamos uma almofada com gel tipo caixa de ovo. Usamos um tapete higiênico também. Para as escaras, estamos usando a pomada sangue de dragão, de forma preventiva inclusive. Todos os dias passamos a pomada. Fizemos tosa higiênica e usamos hipoglós entre as pernas traseiras. Dá muito trabalho realmente, mas ela tem noção e interage. Assim é impossível fazer eutanásia. estamos mantendo o tratamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, que fitos vcs usaram? Tenho um boxer também diagnosticado com MD, ele ainda anda na cadeirinha. Grata!

      Excluir

LICENÇA DE USO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.