terça-feira, 21 de agosto de 2012

Vacinose - Essa, você precisa saber!


Vacinose? O que é?

O post de hoje será um artigo da Dra. Becker sobre as ocorrências pós-vacinas e que eu, particularmente, acredito que todo proprietário de animal pode e deve  ser informado.

Você já ouviu falar em reações à vacina que levou a morte algum animal?
Vaccinosis” não é uma doença aguda, é uma reacção negativa imediata, cujos efeitos, vão s de leves (como letargia, sintomas de gripe, etc) a grave (como choque anafilático), estão claramente ligados a uma vacinação recente.  Esses eventos são  amplamente reconhecidos pela comunidade tradicional veterinária, mas  infelizmente, estas reacções são consideradas por veterinários tradicionais como aberrações ocasionais de um processo basicamente seguro.


O que faz as vacinas serem nocivas  aos animais de estimação?


Vacinose é um problema que apenas os veterinários holísticos parecem dispostos a reconhecer. É uma reação do corpo do animal de estimação às vacinas que foram injetados repetidamente. São reações crónicas, não só para o vírus vivo modificado contido na vacina, mas também para os produtos químicos, adjuvantes e outros componentes de linhas de tecidos de células de cultura -, bem como possíveis mudanças genéticas - que podem ser induzidas por vacinas.

Dr. Richard Pitcairn define assim: "Vacinose é para ser entendida como a perturbação da força vital através da vacinação, o que resulta em alterações mental, emocional, e uma mudança física que pode, em alguns casos, ser uma condição permanente." De acordo com Dr. Pitcairn, vacinas que são destinadas a proteger animais contra doenças agudas naturais realmente criam condições crônicas com características da doença, que deveria prevenir.
Esta transformação ocorre no laboratório, onde os vírus são naturalmente modificados, a fim de fabricar vacinas. Quando o vírus natural desencadearia uma resposta do sistema imunitário forte, o vírus modificado no laboratorio, não provoca a esperada reação do sistema imunitário do animal. Em vez disso, ele cria uma doença crônica. A entrega de uma vacina é também muito diferente de como uma doença natural se desenvolve no corpo de um animal.
As vacinas contêm um certo número de substâncias tóxicas, incluindo vírus, bactérias mutantes, irritantes imunes, proteínas estranhas  e, conservantes químicos. Todas estas toxinas são liberadas através de injecção directamente no sangue e da linfa, contornando a linha habitual, antes de defesas da pele, das mucosas, saliva, e assim por diante. Então não é só o vírus na vacina natural, do jeito que entra no corpo de um animal de estimação. Quando você olha para a situação a partir dessa perspectiva, é fácil ver como reações imunológicas anormais são desencadeadas por vacinas.

A força e o equilíbrio do sistema imunológico de cada animal é diferente, por isso não há como prever o quanto é perigoso  seu animal de estimação ser exposto ao vírus modificado contido em qualquer vacina dada ou muitos ingredientes tóxicos que ela contém. É por isso que incentivamos os donos de animais que evitem todas as vacinas desnecessárias e re-vacinações. É também por isso que não se deve vacinar o animal por qualquer doença.

Reações vacinais  em animais de estimação

Os sintomas de reações mais comuns da vacina incluem letargia, perda de pelo, mudança de cor na pelagem no local da injeção, febre, dor, rigidez, falta de apetite, conjuntivite, espirros e úlceras orais. Reações mais graves podem causar imunossupressão, alterações de comportamento, vitiligo, perda de peso, produção de leite reduzida em fêmeas em lactação, claudicação, granulomas e abscessos, bem como urticária, inchaço facial, hipersensibilidade alérgica, doenças respiratórias, alérgicas e uveíte.

Reações muito graves incluem sarcomas no local da injeção (que é um tipo de câncer), anafilaxia, artrite auto-imune, poliartrite, osteodistrofia hipertrófica, anemia hemolítica auto-imune, trombocitopenia imunomediada, tiroidite, glomerulonefrite, miocardite, encefalite pós-vacinal ou polineurite, convulsões, aborto , anomalias congênitas, morte fetal ou embrionária e infertilidade.

Recomendação Dra. Becker

“Desde a introdução de vacinas do cão e do gato, a visão tradicional de seu uso tem sido a de que são seguras e podem realmente ser dadas com freqüência uma vez ou duas vezes por ano. Esta abordagem, tragicamente, tem causado uma tremenda quantidade de sofrimento de milhões de animais de estimação. Como a verdade sobre os perigos da vacina emerge lentamente, até mesmo organizações tradicionais de veterinários e profissionais estão reconhecendo que as vacinas não são tão benignas e, que a expressão "melhor prevenir do que remediar" não é, necessariamente, a mais correta.

Minhas recomendações para vacinar o seu animal de estimação podem ser encontradas em vídeos, artigos e entrevistas aqui no site http://healthypets.mercola.com/. Mais importante, eu não recomendo nenhuma re-vacinação em todos os intervalos prescritos para qualquer animal de estimação. Se você acredita que seu animal de estimação pode estar sofrendo dos efeitos negativos da supervacinação, recomendo fortemente que você procure um veterinário homeopata ou holístico para criar um programa de desintoxicação de vacina para ajudar o corpo a se recuperar de Vaccinosis.”

Comverse francamente com o seu veterinário, leia e pesquise o tema, você vai encontrar muitas fontes confiáveis para tratar do seu animal como ele merece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA DE USO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.