sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Alergias alimentares em cães


Hoje é sexta-feira e por isso um excelente artigo sobre alergias alimentares vasculhado na net. Aproveitem para levar seu cão naquele passeio pela cidade, campo ou praia, afinal ele merece esse carinho.
 

(Texto traduzido-veja o Original)
 
O seu cão tem frequentes infecções de ouvido? Fique atento, você pode estar contribuindo para doenças no seu cão sem saber que ele é alérgico a comida que está sendo oferecida. As alergias alimentares são uma preocupação crescente entre os donos de cães e parece que os animais estão sofrendo com elas.

Mas o que exatamente é uma alergia alimentar?

Alergias alimentares são diferentes de intolerância alimentar. A intolerância alimentar é o resultado de má digestão, como intolerância à lactose. Pessoas e cães com intolerância à lactose não possuem  ou têm baixos níveis da enzima lactase para digerir o leite.

Alergias alimentares são a resposta do sistema imunológico do animal a uma proteína invasora. No caso de uma alergia alimentar, essa proteína está contida em seu alimento. Proteínas estão presentes na maioria dos alimentos para animais. Enquanto a maioria das pessoas reconhecem que as carnes são uma fonte de proteínas, também existem proteínas presentes nos grãos e legumes. Qualquer uma dessas proteínas tem o potencial para causar uma alergia alimentar.

O Sistema gastrointestinal do seu cão (boca, estômago, intestinos) protege-o de alérgenos potenciais todo dia. Aproximadamente 70%  de todo o sistema imunológico do corpo está centrado no trato gastrointestinal. Quando seu cão come uma refeição, a comida é primeiramente digerida no estômago; as peças grandes são quebradas em pedaços menores pelo ácido do estômago e, em seguida, enzimas e ácidos trabalham juntos para quebrar as estruturas de proteínas complexas em estruturas menores. O alimento parcialmente digerido então se chega ao intestino delgado, lá, o alimento é digerido mais ainda até que as proteínas (quebradas em partes menores aidna), os aminoácidos, podem então ser absorvido no corpo através de células especiais chamadas enterócitos. Enterócitos atuam como uma espécie de boas-vindas aos aminoácidos que são necessários e,  como seguranças- guardas da porta - para aminoácidos não desejados. Quando uma proteína inteira é absorvido no intestino em vez de ser dividida, o sistema imunológico reage e seu cão mostra sintomas de uma alergia alimentar.

Quando o Sistema Trabalha

Toda a habilidade no trato intestinal para evitar a absorção de proteína inteira é dependente da saúde e da integridade da mucosa. Ela é a guardiã do corpo no portão gastrointestinal. A mucosa (revestimento do intestino) é composta por dois componentes estruturais do sistema imunológico. Os componentes estruturais atuam fisicamente impedindo a absorção de proteínas de grande porte. O componente do sistema imunológico é responsável pelo reconhecimento dos conteúdos potencialmente nocivos ao trato gastrointestinal. A saúde e a integridade do trato gastrointestinal, é dependente da estrutura e função normal dos enterócitos, que fazem a  digestão de proteínas eficazmente e, da presença de células no sistema imunológico do cão (chamadas células IgA).


Como prevenir alergias alimentares

Células IgA são células imunológicas secretadas no intestino. Algumas das IgA irão flutuar livremente no conteúdo do intestino, enquanto outras se grudam à parede do intestino para evitar que toda a proteína entrem  em contato com os enterócitos. Assim como jogadores de voleibol eles cortam as proteínas inteiras mandando-as de volta ao intestino para mais uma digestão. A digestão da proteína no estômago e no intestino é mais eficaz quanto menores forem aoo entrarem em contato com a IgA. Pequenas proteínas e aminoácidos não ficam impedidos e chegam as IgA sendo plenamente absolvidas pelo organismo em forma de nutrientes.

Algumas das raças são mais propensas a alergias alimentares: Boxer, Cocker Spaniel, Springer Collie, Spaniel, dálmata, pastor alemão, Lhasa Apso, Schnauzer, Retriever, Shar Pei, Soft-Coated Wheaten Terrier, Dachshund, e West Highland White Terrier

Os alérgenos alimentares mais comuns são: leite, carne, e trigo.

Os alérgenos alimentares que menos comuns são: o peixe e coelho.

Os sinais e sintomas de alergia gralmente incluem: coceira na pele seca, excesso arranhão ou lambedura, partes sem pêlos, infecções de ouvido, infecções de pele, diarréia e vômitos.


Quando o sistema falha

A desnutrição pode afetar a estrutura e função do enterócito. O enterócito com mal funcionamento ou danificado, pode deixar proteínas inteiras passarem livremente para o organismo. Uma vez que a proteína inteira consegue romper todas as defesas do intestino, o seu tecido linfóide associado (GALT) assume o controle. O GALT pode impedir a resposta natural do organismo a uma proteína estranha. Na maioria das vezes é isso que acontece, mas no caso das alergias alimentares, o GALT não consegue impedir  a resposta imune do organismo, então uma resposta alérgica (hipersensibilidade imune) é formada.

Infelizmente, cada vez que o alimento é ingerido, essa resposta excessiva torna-se maior. Então, continuando a consumir a dieta que causou a reação alérgica, os resultados se tornam maiores a cada vez. Após formar a hipersensibilidade, cada vez que o cão come a comida, o sistema imunológico do animal se arma e manifesta-se  com sintomas de diarréia, coceira na pele infecções crônicas da pele, etc,

Como resolver o problema?


A primeira coisa que você precisa fazer, é conversar com o seu veterinário para se certificar de que, os sintomas realmente indicam uma alergia alimentar. Se for esse o caso, o veterinário provavelmente recomendará uma eliminação da dieta alimentar de algum  alimento que tenha uma proteína diferente (carne) de origem e um de carboidrato diferente (grãos). Alimentos anti-alérgicos mais comuns (fontes de proteína) incluem canguru e farinha de aveia ou carne de veado e de batata. Isso impede a resposta imune continuar a ser disparada.


Seu veterinário também pode sugerir uma dieta hipoalergênica. Estes alimentos são feitos com proteínas hidrolisadas, o que  significa proteínas já divididas em pedaços pequenos o suficiente, para que IgA não se importe com elas, causando uma resposta imunológica.

Alimentos com cordeiro e arroz,  podem ser considerados "hipoalergênicos" já que os alimentos comerciais do cão mais comuns são elaborados com frango ou carne e milho ou trigo. Como a maioria dos cães nunca comeram esse tipo de alimento antes, torna-se  uma boa opção por ser novo para o organismo do cão.
No entanto, muitos cães estão mostrando também alergias a dietas de cordeiro e arroz;  isso já era esperado uma vez que uma alergia pode se desenvolver em qualquer dieta. Se seu cão é alérgico a cordeiro e arroz  você precisa encontrar um alimento com ingredientes diferentes, como peixe e farinha de aveia, ou carne de veado e batata doce.

Enquanto seu cão estiver em qualquer dieta especial, é muito importante que ele não recebea qualquer outro alimento, como biscoitos, doces, peles, alimentos humanos, etc Se você não sabe ainda exatamente qual o agente alégeno não lhe ofereça nenhum alimento novo ou algo que possa  provocar uma reação alérgica. Assim se  o alimento oferecido não está causando reação alérgica, você pode começar a reintroduzir outros alimentos. Se acontecer uma reação, você saberá exatamente qual o alimento (ou alimentos) que estão causando o problema.


Prevenção de alergias alimentares

Existe alguma coisa que nós, como proprietários, podemos fazer para evitar alergias alimentares de desenvolvimento?
Esta é uma das questões mais difíceis em nutrição animal atualmente. Nós ainda não sabemos realmente como prevenir alergias totalemente, então há coisas que você pode fazer que ajudarão o seu cão a combater alergias diversas.

Promover uma mucosa saudável. Isto pode ser feito, garantindo que nossos cães, especialmente filhotes, tenham uma nutrição adequada e cuidados com a saúde.

Cuidado com as gastroenterites. Algumas teorias comprovaram que  gastroenterite cedo ou gastroenterite grave, especialmente em filhotes ou cães jovens, pode resultar em um cão adulto mais propenso a desenvolver alergias alimentares. Prevenção da gastrenterite, em teoria, é fácil; apenas não deixe seu cão comer qualquer coisa, apenas comida feita especificamente para ele. Na realidade, isso é muito dificil de combater. Cachorrinhos comem uma variedade de coisas, algumas que não são prejudiciais, grama, terra, cascas, frutos silvestres (ou seja, framboesas, morangos), às vezes um pouco de esterco de vaca ou cavalo e alguns que não são bons para eles (lixo podre ou animais). Pode ser muito difícil policiar o que se passa para boca do seu cão.

Se você suspeitar que seu cão derrubado o  lixo ou comido algo que pode causar desordens digestivas, é melhor para o seu  cão ser alimentado numa dieta de baixa proteína (arroz branco cozido ou batata) até que a suspeita de uma desorden intestinal passe ou você converse com o veterinario . Em geral, se a diarréia durar mais de 72 horas sem sinais de melhora ou mesmo, se a diarréia parece especialmente grave, é malcheirosa, você deve consultar seu veterinário. Nestes casos, não tente tratar o cão em casa com remedios caseiros ou medicamentos para fazer parar a diarréia,  porque a diarréia é o corpo tentando se livrar de coisas ruins no intestino. Dar alguma coisa que páre a diarréia, pode resultar em manter as toxinas no intestino, causando uma doença grave.

Promover a digestão de proteínas de forma eficaz. Em geral, o seu cão não deve ter nenhum problema para digerir proteínas. Se você está utilizando uma dieta caseira cozida ou crua, a moagem ou mistura da sua fonte de proteína em um processador de alimentos pode ser útil na melhoria da digestão.

Escolha um alimento para cão com uma fonte de proteína exclusiva. Um alimento que só tem uma ou duas fontes de proteína pode ser útil em dar-lhe mais escolhas, mais tarde, do seu cão desenvolver uma alergia. Por exemplo, se você usar um alimento com cinco fontes de proteína (isto é, peru, galinha, pato, salmão e atum) e assim desenvolver uma alergia, terá que encontrar um alimento que não contenha nenhuma dessas fontes de proteína e isso pode ser um desafio. Por outro lado, se você utiliza uma dieta com frango como sua única fonte de proteína e seu cão desenvolve uma alergia a ela, você pode facilmente encontrar uma dieta que não contenha frango.

Algumas alergias alimentares têm a prevenção como sendo impossível nos cães que são propensos a desenvolver alergias alimentares. Algumas raças estão se tornando conhecidas por alergias alimentares (veja acima). Como resultado, é possível que uma propensão para o desenvolvimento de alergias alimentares pode ser genética, caso em que, é melhor evitar como reprodutores, cães que tenham alergias a alimentos.


Lidar com um cão com alergias alimentares pode ser um desafio, as vezes desanimador. Hoje em dia um bom  diagnóstico dessas alergias pode tornar mais fácil de se entendê-las e começar a prevení-las no futuro. Em uma nota pessoal, a minha Labrador teve alergia alimentar todos os seus 12,5 anos. Tem sido uma longa estrada e muitas vezes uma tarefa difícil. É muito mais fácil encontrar fontes de proteína agora do que era há 12 anos. Se você tiver um cão com alergias, tenha paciência e acredite,  ele vai ficar melhor.

(Fonte: http://www.moderndogmagazine.com
Elizabeth Scott Pask e Laura

6 comentários:

  1. Tenho um viralatinha de 7 anos( pincher com alguma coisa)kkkk, ele é alérgico até ao ar. Estou dando alimentaçao natural pra ele a 3 meses e melhorou bastante, mais basta dar frango e algo com milho ou trigo que as fezes dele sai com um muco transparente em volta. Isso pode ser alergia alimentar???? Ele esta sem vermes.

    ResponderExcluir
  2. tambem tenho uma viralata, tem 8 anos, notei que ela é alérgica à ração a base de frango, o que é muito difícil, pois a maioria das rações tem como base farinha da moagem de ossos e vísceras de frango, mesmo as ditas medicinais. Encontrei uma ração que possuia baixo teor de frango em sua composição, a Revena, da Purina, mas para meu desespero, que melhorou em muito a situação da minha cachorrinha, mas para meu desespero, não tenho mais encontrado a ração em lugar algum. Existe algo similar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia tem a ravena na pet love sempre compro la wwwpetlove.com

      Excluir
  3. tambem tenho uma viralata, tem 8 anos, notei que ela é alérgica à ração a base de frango, o que é muito difícil, pois a maioria das rações tem como base farinha da moagem de ossos e vísceras de frango, mesmo as ditas medicinais. Encontrei uma ração que possuia baixo teor de frango em sua composição, a Revena, da Purina, mas para meu desespero, que melhorou em muito a situação da minha cachorrinha, mas para meu desespero, não tenho mais encontrado a ração em lugar algum. Existe algo similar?

    ResponderExcluir
  4. Tenho um Lhasa Apso,sempre foi alergico a tosas,mas alimentação,quando ele completou dois anos...
    Levamos na nossa veterinária de confiança e começamos o tratamento para saber de onde surgia,começamos com antibióticos,depois produtos de higiene,sistema nervoso e alimentação!
    E para nossa surpresa era alimentar!
    hoje ele come ração "skin care"
    E os problemas acabaram!

    ResponderExcluir
  5. Tenho um Lhasa Apso,sempre foi alergico a tosas,mas alimentação,quando ele completou dois anos...
    Levamos na nossa veterinária de confiança e começamos o tratamento para saber de onde surgia,começamos com antibióticos,depois produtos de higiene,sistema nervoso e alimentação!
    E para nossa surpresa era alimentar!
    hoje ele come ração "skin care"
    E os problemas acabaram!

    ResponderExcluir

LICENÇA DE USO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.